Como reduzir os juros ao financiar um imóvel? Conheça 4 dicas importantes!

É possível lançar caminhos para encontrar a melhor oferta de financiamento antes e depois da assinatura do contrato.

Não é novidade para ninguém que a maneira mais popular de realizar o sonho da casa própria é o financiamento imobiliário. Essa modalidade oferece ao público a oportunidade de acertar “parcelas sem complicações” na compra de uma casa ou apartamento.

Embora seja relativamente simples, o financiamento imobiliário tem algumas desvantagens. Entre eles, o pagamento de juros relacionados às parcelas mensais. Este artigo fornecerá orientações valiosas para quem deseja reduzi-los, seja pré-contratual ou mesmo durante a vigência do contrato. Confira abaixo 4 dicas!

Não perca — Não Consigo Financiar Minha Casa Própria! O que Devo Fazer? Confira

Como reduzir os juros ao financiar um imóvel? Conheça 4 dicas importantes!

1. Simuladores de financiamento imobiliário:

Com a chegada de inúmeros players no mercado financeiro, é natural que nos confundamos entre tantas opções. Muitas vezes as pessoas tentam descobrir quais são as condições de pagamento nas instituições financeiras onde possuem uma conta e, eventualmente, financiam lá.

Hoje, com o advento do simulador de financiamento imobiliário, basta inserir alguns dados como nome, CPF, valor a ser pago à vista e quantidade de parcelas para fazer um “raio-x” dos benefícios na oferta pelos principais bancos do país. Esta é uma maneira fácil e simples de descobrir qual opção se adapta melhor às suas necessidades.

2. Economize para dar uma entrada maior:

Um dos grandes segredos para assinar um bom contrato de financiamento é planejar sua execução. É importante criar um plano de poupança familiar para os próximos meses (ou anos) e a partir daí “aumentar” o valor que gastará na compra de uma casa.

A medida é uma abordagem consciente que permite ao beneficiário reduzir drasticamente a taxa de juros de cada uma das parcelas de seu financiamento. Ou seja, quanto maior for o valor da entrada, menor será a dívida contraída.

3. Aproveite o clima econômico atual:

Uma rápida olhada nos jornais é suficiente para entender que a situação econômica do Brasil não é das melhores devido à recessão provocada pela nova pandemia do coronavírus. Este é um cenário altamente especulativo e pouco atraente para os investidores.

O que isso tem a ver com sua hipoteca? Tudo!

Apesar dos tempos difíceis, 2021 é um ano de oportunidades para quem deseja comprar uma casa. Isso porque a Selic, taxa básica da economia, caiu ao seu menor nível desde 1999, ano de sua inauguração, e agora está em 2%.

O objetivo dessa redução significativa está atrelado ao estímulo da economia. Com a baixa Selic, os juros cobrados pelos bancos também estão caindo, proporcionando um ótimo cenário para os financiamentos imobiliários com taxas bem abaixo da média dos anos 2018 e 2019.

4. A portabilidade do contrato é uma opção:

Hoje em dia é muito mais fácil solicitar a transferibilidade de contratos do que nos tempos mais recentes. Para fazer isso, pesquise os termos e benefícios oferecidos por cada instituição e tente primeiro negociar com seu banco.

Se a negociação não terminar positivamente para você, basta entrar em contato com outro banco com condições de uma taxa de juros menor e realizar todo o processo de transferência. No entanto, lembre-se que, na efetivação da portabilidade, o novo imóvel está sujeito a nova avaliação e que essa análise pode envolver novo contrato e, consequentemente, novos custos burocráticos (Formalizar todas as alterações do imóvel em cartório).

Aproveite e confira também — Não financie um imóvel antes de conferir 5 dicas úteis que o ajudaram.

Conclusão

Comprar uma casa é um grande passo na vida de cada cidadão e capítulos notáveis ​​como este merecem paciência e atenção aos detalhes. Portanto, realize sua pesquisa e compare todos os aspectos dos benefícios que os bancos oferecem para obter o negócio mais favorável para você.